segunda-feira, fevereiro 26, 2007

Eslovenia ?

Eu vou comecar escrevendo sobre minha viagem a Eslovenia que acabou se estendendo a Croacia. 'Por que a Eslovenia ? Eh o que eu quase sempre ouco quando digo que fui a Eslovenia, e sempre penso ' porque nao?'. Eu iria acho que a todos os lugares do mundo, tenho uma curiosidade enorme de ver como as pessoas vivem, ouvir linguas diferentes, imaginar o que as pessoas pensam, o que as diverte, o que as deixam perplexas, enfim descobrir como me parece a vida num lugar diferente. Entao, quando me perguntam 'porque a Eslovenia?', eu sei que eh porque a Eslovenia para brasileiros nao eh um destino comum, mas quando a pergunta vem de um amigo proximo eu sei que a pergunta eh mais para compreender porque de todos os destinos incomuns eu escolhi primeiro a Eslovenia. E para isso sim existe uma resposta clara: a Vesna.

Eu conheci a Vesna no Carnaval de 2006 quando fui acampar com amigos e desconhecidos na Ilha Grande. Assim que passou o Carnaval, eu que tinha acabdo de voltar de NY, resolvi estender minha estadia na Ilha uma vez que nada muito serio me esperava em sao paulo. Foi num desses dias extras que a Vesna apareceu na praia Brava, praia que era um pouco mais deserta pois fica fora do circuitos das trilhas famosas. Ela estava hospedada na Vila de Abraao mas do dia em que nos conhecemos ate o dia que parti, ela veio todos os dias ao nosso acampamento. Se juntou a tudo que fizemos, e em apenas 3 dias ficamos muito amigas. Amizade dessas de viagem, que acontece de vez em quando e que e intensa pois simplesmente nao ha tempo para pequenas doses, e ha tambem todo o tempo para overdoses. Foi um encontro desses que nao poderia acontecer de outra forma.

A Vesna estava no final de uma viagem de um ano por onde ela tinha passado pela: Australia, Nova Zelandia, China, Japao, Indonesia, Tailandia, Bolivia, Chile, Peru e Brasil. Eu tinha terminado a faculdade. Depois de anos morando fora entre NY e Amsterdam, depois de ter passado pelos departamentos de Cinema, Musica, Politica Internacional e Antropologia. Eu voltava finalmente formada. Ela voltaria em seguida para europa com ainda planos de visitar um amigo em Israel e depois ir para Londres juntar dinheiro para uma nova viagem. Eu sem planos, nao sabendo se voltaria pra Europa, se continuaria com o Haiko. Assim meio sem certezas passamos horas conversando sobre viagens, e impressoes. Ela me falou do fascinio que sentiu pela Bolivia, me contou como foi crescer num pais socialista e o que foi ver a desintegracao da Iugoslavia. Eu contei a ela as minhas estorias e no dia da despedida combinamos que nos encontrariamos pelo mundo.
-"Quem sabe na Inglaterra?" eu sugeri
- "Quem sabe na Eslovenia!"

Um comentário:

gustavo disse...

Bom voltar a ler voce! Voce tem tocado? Composto??? Saudade de te ouvir tocar! Beijos Gu