segunda-feira, janeiro 26, 2009

VI

E ai eu cheguei no Brasil. Para fazer meu exame de ressonancia magnetica. Eu antes tinha pavor de ficar fechada la dentro. Desta vez meditei. Em total paz. Sentia a presenca do meu Yogi comigo o tempo todo. Eu estava completamente em paz. O exame demoraria uma semana para ficar pronto. E eu fiquei é claro um pouco ansiosa.

Ai chegou o dia de ir buscar. E eu peguei o exame para ir a consulta logo em seguida. Tudo que eu queria era que meu cerebro nao tivesse piorado. So isso. Tudo isso :) Abri o exame sentada na padaria que ficava ao lado do consultorio do meu medico. Minha mae perguntou " mas voce vai abrir o exame, ju??." " Claro mae. Ninguem tem mais direito a ver esse resultado do que eu. Ainda que eu nao entenda nada." E eu abri. Sentada no balcao da padaria. Com um cha de menta a minha frente. E olhei para tudo que estava escrito que eu nao entendia. No conclusao lia-se " Nao se apresentam novas alterações.'' E eu comecei a chorar. Aliviada . Feliz. Emocionada. Profundamente grata. Lembro-me do garcom que me olhou preocupado. " Eu to chorando porque eu to feliz." eu disse a ele. " Entao voce deve estar muito feliz." E eu estava muito!.

Fui ao medico e quando ele colocou minhas ressonancias na luz para compara-las com as antigas.Vimos que nao só o meu cérebro nao tinha novas inflamacoes mas que das 3 inflamacoes que eu tinha 2 tinham sumido e uma cicatrizado. Eu nunca vou conseguir colocar aqui em palavras o que isso significou para mim. Para mim é claro teve um significado metafisico. Eu sentia dentro de mim que eu estava melhor. No entanto, ver materializado numa ressonancia magnetica, num exame medico, uma mudança organica. Isso nao tem como explicar.

Então eu mudei. Eu hoje não levo nada mais tão a sério. E é claro que eu hoje continuo errando. No entanto, tenho uma enorme vontade de acertar. Nao acertar a resposta de uma pergunta, ou arrumar o emprego certo. Acertar o comportamento certo que nos faz viver melhor. Acertar em escolher o caminho certo, o do coracao e nao o do ego. Ainda que muitas vezes eu siga o ego. Hoje eu quero transformacao, trocar com outro de maneira profunda. E eu tenho encontrado pessoas incriveis pelo caminho que eu tenho podido ajudar, assim como fui ajudada. Com outras tem sido mais dificil pois elas se sentem ameacadas por toda essa busca de liberdade.

De qualquer maneira naquele minuto de catarse eu me senti profundamente grata. A todos os catolicos, judeus, espiritas, ortodoxos, pagaos, muçulmanos, hindus, budistas, yogis que rezaram, meditaram, fizeram buscas metafisicas em meu nome. Grata aos humanistas, agnosticos, ateus que tiveram pensamentos positivos. Grata aos medicos, enfermeiras, atendentes. Profundamente grata a 3 pessoas em especial. SS Karmapa que me tocou de maneira indescritivel na India. Grata a Cecilia que com a Euritimia me abriu para outras visoes. E é claro, enormemente grata ao Raphael, Yogi, que foi o anjo que caiu na minha vida logo no primeiro dia. Alem de ser um grande amigo, um grande confidente, é a quem eu sempre vou atribuir o começo dessa mudança. E finalmente: a mim. Naquele segundo, o mundo parou. O mundo dentro de mim. E eu senti um indescritivel amor, e orgulho de mim.

3 comentários:

Anônimo disse...

Eu também estou orgulhosa de vc, Jú! Estou, acima de tudo, muito feliz pela sua busca!
Beijos com muito amor e saudades, Oli.

Julieta de Toledo Piza Falavina disse...

oli! que surpresa. obrigada querida.

Charô disse...

Parabéns pela cura, é óbvio que seu estado de espírito fez diferença.
(...)
Ai, vou tentar não levar tudo tão a sério!
(...)
Abração!