quinta-feira, junho 14, 2007

Equivalente ao Centro de Bombay em Marte ?




Haiko, meu marido, é neurocientista cognitivo e trabalha/estuda desenvolvimento cerebral dos bebês. Um desses dias, o Haiko me contou de uma conversa entre um colega dele chamado Caspar e um outro rapaz que não entendia porque muitas pessoas achavam bebês interessantes. O rapaz disse que quem acha bebê interessante deveria sair mais de casa. Segundo ele, oque é interessante é a possibilidade de vida em Marte não uma ´coisa´ que baba muito, chora e faz cocô na calça o tempo todo.

A esta frase frase veio a resposta de Caspar, que me pareceu muito interessante e por isso a reproduzo aqui.

´Bebês tem que ser uma das coisas mais interessantes que existem. Alguns mínimos micróbios em Marte podem nos interessar por um tempo, mas pessoas são muito mais interessantes, e todos nós começamos a vida como bebês. Nós chegamos sem nenhum idéia sobre nada e temos que passar uma vida inteira aprendendo sobre o mundo. O processo continua pela vida inteira, mas é mais intenso no primeiro ano e pouco de vida. E o que se aprende nesse começo é a base para tudo que se aprende depois. Antes de aprender as coisas mais óbvias que nõs todos nem percebemos o valor, temos que nos familiarizar com alguns princípios sofisticados e sutis. Por exemplo : gravidade, solidez e a continuidade no tempo dos objetos, sentido de ´self´, alguma perspectiva das relacões com ´outros´, do que se trata linguagem etc..

E eles não são apenas pequena calculadoras experimentando o mundo para descobrir como e por quê o mundo funciona. Eles tem que aprender em meio a um labirinto de confusão. Dizem que a experiência de ser bebê é muitas vezes comparada a uma forte viagem de ácido. Eu acho que essa comparação não deve estar muito longe da verdade. É é uma viagem que não para e onde não se tem nenhuma concepção do que é a realidade. Imagine ser drogado com ácido e ser jogado no equivalente do centro de Bombay em Marte.

Usando um exemplo da minha pesquisa. Eu estou tentando descobrir as origens da formação de conceitos na infância. Como os bebês aprendem a econtrar padrões e regularidades no mundo. Todos esses pequenos animais peludos são cachorros, esses outros são gatos, esse especificamente é o Spot, aquele é o Felix, e todos juntos coletivamente são animais de estimação. E eles também são mamíferos, animais, que voce pode encontrar na sua casa ou num desenho animado. Mas o que todos os cachorros têm em comum? Nem adultos podem responder a isso direito. Há algumas características comuns (como pelo, rabo, nariz preto e brilhante) mas muitas dessas características são comuns com muitos outros tipos de coisas, e nem estão sempre presentes ao mesmo tempo. Na maior parte do tempo nós simplesmente sabemos quando vemos um e fazemos isso sem nenhum esforço. É precisamente por causa de todo esse aprendizado que fizemos naquele primeiro ano e meio de vida: qualificanto, classificando, dando sentido ao mundo.

E depois temos que aprender a classificar as pessoas, comidas, brinquedos, móveis, veículos, emoções, relações abstratas. E tudo isso enquanto estamos tentando aprender a primeira lingua. Nossa! É muito complicado ser um bebê. Não me surpreende que eles comecem a chorar de vez em quando!´

2 comentários:

bictor disse...

nhé

Anônimo disse...

ler todo o blog, muito bom